musicas.mus.br

Letras de músicas - letra de música - letra da música - letras e cifras - letras traduzidas - letra traduzida - lyrics - paroles - lyric - canciones - MEUS INIMIGOS ESTãO NO PODER (PART. EDUARDO FACçãO CENTRAL) - APOCALIPSE 16 - música e letra

Utilize o abecedário abaixo para abrir as páginas de letras dos artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z

Meus Inimigos Estão No Poder (part. Eduardo Facção Central) letra


Hã, aham, ha ha
Em suas cabeças eles imaginam ser autoridades
Mas são insanos no poder cometendo atrocidades
Promovendo o genocídio e a corrupção
Celebrando a desgraça com o apoio da televisão
O final do país que vocês governam será idêntico ao daquele filme
A Revolução dos Bichos
Assistiram? Não? Então assistam!
Roedores, comedores de lixo, hã
Comedores de lixo, lixo, hã, ha ha ha

Ha ha ha ha, eu rio da sua cara
Ha ha ha ha, eu tenho nojo da sua cara
Você é o pior pesadelo brasileiro
Desde o último ao primeiro, invertendo a ordem
Trocaram a frase da bandeira para regresso e desordem
Traidores, patrocinadores do circo de horrores
Vendidos, manipuladores, homens caluniadores
Carrascos do seu próprio povo
Vocês me dão nojo, vocês me dão ânsia
São ladrões que furtam desde a infância
Cínicos, demônios, filhos de Satanás
Vocês trocam Cristo por Barrabás

São como Judas, criatura ingrata
Que vendeu Jesus por 30 moedas de prata
O poder está nas mãos erradas
Mão de ladrão tem que ser cortada
Aí você ia ver como ia ter uma pá de porco do poder maneta
Tudo que falo aqui pode publicar na Veja

O sangue dos justos será vingado
No dia do juízo nenhum de vocês será poupado
Seus dias estão contados
Assim como Judas todos vocês serão enforcados
A revolta do povo está pra acontecer
Acredite, será o ódio de um país contra vocês

Meus inimigos estão no poder, no poder, no poder
Meus inimigos estão no poder
Querem meu sangue, mas não vão ter

Meus inimigos estão no poder, no poder, no poder
Meus inimigos estão no poder
Querem meu sangue mas não vão ter

Não existe glória em nossa história
Não tem vez o povo, pois é visto como escória
Aqui não tem distribuição de renda
O povo passa fome, mas o prefeito de não sei aonde tem fazenda
A custo do desvio de renda
Vamos, me prenda porque pronuncio a verdade
Tortura é o que eu espero da polícia covarde
Saiba que não me amedronta o cão que late

Dane-se o Maluf, dane-se o Pitta
Dane-se o Hildebrando Pascoal
Mesmo que queimem no fogo do inferno não pagariam pelo seu mal
Justiça não existe no seu vocabulário
E a prova disso é o sistema penitenciário
A prova é a favela, a prova é o movimento sem terra
A prova é a sua grana suja, a sua casa, sua família
A faculdade cara da sua filha, suas férias no exterior
Vocês são como a praga do Egito, o gafanhoto devorador

Que Deus nos ajude a viver
Num país sem plano de assistência a saúde
Para cada criança que morre por descuido desses ignorantes
Mil chicotadas deveriam ser dadas em cada um dos governantes
Sumam daqui com seus palanques, microfones, alto falantes
Chega de mentir pros meus semelhantes
Volto a dizer, mão de ladrão deve ser cortada
Porcos pra mim, vocês não valem nada

Ha ha ha ha, eu rio da sua cara
Ha ha ha ha, eu tenho nojo da sua cara
Ha ha ha ha, eu rio da sua cara
Ha ha ha ha, eu tenho nojo da sua cara!

Meus inimigos estão no poder, no poder, no poder
Meus inimigos estão no poder
Querem meu sangue, mas não vão ter

Meus inimigos estão no poder, no poder, no poder
Meus inimigos estão no poder
Querem meu sangue, mas não vão ter

Meu inimigo tá a mil de BMW
Com mansão confortável, prostituta do lado
Horário reservado na TV, no rádio
Pra reverter meu voto em caixão lacrado
Quem come lixo é presa fácil, é um, dois
Vai pra urna por um quilo de arroz
Pega fila no Sol com título de eleitor
Pra por ladrão na limusine com batedor

O país privatizado do Plano Real
Só me dá indulto de Natal, uma condicional
Tá com fome? Vota em mim que tem comida
Problema é água? Eu trago carro-pipa
Fura-fila, o país do Cingapura
Destruo o seu barraco, te dou uma cobertura
Promessa de campanha do demônio engravatado
Que tem a avenida de orçamento superfaturado

Tem o povo com frio, com fome, morô?
Sonhando com um trampo no palácio do trabalhador
Um boteco com carne humana até no teto
O tiro no inocente, na grávida que aborta o feto
O aposentado de cabelo branco
Saindo na mão com vira-lata pelo osso de frango
Eu não preciso de internet, biblioteca
Pra entender a política moderna

Pra mim é tiro de 12, ódio, dor
Pra quem roubou meu voto é conta no exterior
Filho na Disneylândia com Mickey, com Pluto
Torrando a propina do camelô no primeiro mundo
Salário mínimo aprovado no Senado
É apologia ao empresário torturado, esquartejado

A Câmara dos Deputados cheira a carnificina
Tem a feição de Hitler, nazista
Verbo terrorista, facção até morrer
Usando a mente como um tiro de PT
Só a justiça de Jesus pode absolver
Os inimigos que estão no poder

Meus inimigos estão no poder, no poder, no poder
Meus inimigos estão no poder
Querem meu sangue, mas não vão ter

Meus inimigos estão no poder, no poder, no poder
Meus inimigos estão no poder
Querem meu sangue, mas não vão ter

Este puerco, puerco roba tu casa
Puerco, puerco roba tu casa
Este puerco trabaja con la mafia
Haciendo dinero de las drogas
De las, de las, de las, de las drogas
Puerco, puerco, puerco, puerco, puerco
Pois se eles querem meu sangue
Só se eu estiver morto, só assim

Apocalipse 16 - Letras

©2003 - 2022 - musicas.mus.br